O Blog mais escondidinho de todos os blogs. Aquele que fica algures perdido na arrecadação dos fundos. A onde dou asas à minha imaginação (III)

.posts recentes

. A Ponte do Sol XVIII

. A Ponte do Sol XVII

. A Ponte do Sol XVI

. A Ponte do Sol XV

. A Ponte do Sol XIV

. A Ponte do Sol XIII

. A Ponte do Sol XII

. A Ponte do Sol XI

. A Ponte do Sol X

. A Ponte do sol IX

.arquivos

. Janeiro 2010

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

Quinta-feira, 27 de Novembro de 2008

A Ponte do Sol XII

Cucu! Estou de volta... E aqui fica mais um bocadinho...

 

Continuação...

 

Leonor arqueou a sobrancelha...

- Olha que lindas... São para ti e trazem cartão e tudo. Vá vê lá de quem são. Aposto que são do Raúl. Disse Clara toda entusiasmada. Leonor olhou as flores e cheirou-as, era um ramo de orquídias e rosas brancas. Abriu opequeno envelope e leu.

 

"Perdoa-me a indelicadeza da noite passada. Quero começar tudo de novo. Aceitas jantar comigo esta noite, para podermos conversar?

Um beijo doce.

Afonso"

 

-Enganas-te! São do Afonso!

- Oh! Que querido! Então vais jantar com ele?

- Acho que sim. Tenho que pôr os pontos nos i's. Ele tem que perceber que entre nós os dois nunca vamos ter nada.

 

*

 

Leonor vestiu um vestido longo preto que a fazia parecer ainda mais alta. O cabelo apanhado, deixava surgir as suas costas desnuadas...

- Eh lá! Estás toda gira! Comentou Clara.

- Queres o quê?! Ele disse que me ia levar a um sítio especial... Não quero fazer figuras tristes...

Bateram à porta. Leonor abriu,

- Olá boa noite! Bem, Leonor, estás deslumbrante. Disse Afonso sem conseguir tirar os olhos dela.

- Tu também não estás nada mal com esse laçarote. Fica-te a matar - Riu-se.

- Oh! Não sejas assim... Prometo que não te vais arrepender.

Sairam de táxi e ainda percorreram uns 4 Km. Depois o táxi parou em frente a um Hotel de 5 estrelas que tinha uma fachada imponente. Duas esfinges a ladear a entrada e a entrada era uma pirâmide em ponto pequeno.

- Bem, este Hotel é lindo! Disse Leonor.

quando entraram lá dentro, parecia que tinham viajado no tempo. Todos os funcionários estavam vestidos com os trajes tradicionaise a decoração do Hotel era a recriação do interior das pirâmides, com as suas pinturas e baixos-relevos, mas muito maior. As salas eram gigantescas e o luxo imperava. Afonso conduziu-a ao Restaurante e pediu o jantar.

- Desde quando é que conheces isto?

- Oh! Já aqui passei férias com os meus pais. Este hotel é fantástico. MAs a faculdade não devia ter dinheiro para tanto. Comentou rindo-se.

Leonor sentia-se uma princesa. O jantar decorreu muito animado e com conversas triviais. Quando veio a sobremesa, Afonso começou:

- Leonor! Queria pedir-te desculpas pela outra noite. Fui muito rude e indelicado. Não te devia ter forçado a nada! MAs quero que entendas que os meus sentimentos por ti são veradeiros. eu estou realmente apaixonado por ti.

Leonor sorriu embaraçada e corou ligeiramente.

- Oh! Afonso, eu sinto-me lisonjeada com esse teu sentimento e com as tuas palavras. agradeço o teu esforço e delicadeza. O jantar estava excelente, o restaurante nem se fala. As flores eram lindas, mas eu já te disse que entre nós nunca haverá nada. O que eu sinto por ti é apenas uma grande amizade...

Afonso sorriu amargamente e deu a mão a Leonor. Eu já sabia de tudo isso, mas tinha esperança que estes meus pequenos gestos incendiassem uma centelha de dúvida nessas tuas certezas. Levantou-se e deu-lhe um beijo na face. Leonor sorriu e baixou os olhos. Quando voltou a levantar a cabeça, tinha dois olhos verdes crispados nela. O semblante daquele homem era carregado.

- Raúl! Que fazes aqui?!

- Eu estou aqui hospedado. Já vi que estásmuito bem acompanhada. Adeus!

Leonor ficou especada no meio do restaurante. Não queria acreditar que eleestava a ser tão antipático com ela. Afinal ela é que tinha razões para estar chateada...

A noite prosseguiu sem incidentes. Mas Leonor não conseguia deixar de pensar no Raúl. A dureza e arrogância das suas palavras tinham-na deixado desconcertada.

 

Continua...

publicado por _^ANGIE^_ às 10:33
link do post | comentar | favorito
7 comentários:
De Just_Smile a 27 de Novembro de 2008 às 22:13
Escreves muito bem querida=)
Eu vi logo que nem tudo iam ser rosas^^
Beijinhos
De _^ANGIE^_ a 28 de Novembro de 2008 às 09:23
Oh!Obrigada.

Ainda fico admirada como é que tu apareces aqui. Eu só posto quando o rei faz anos. lolol

Não consigo vir todos os dias. peço desculpa, mas não dá

Beijinhos e obrigada por apareceres.
De Just_Smile a 28 de Novembro de 2008 às 11:43
Oh... Não te preocupes, eu também é raro vir cá, ultimamente venho uma vez por semana ou duas, com sorte. Mas sempre que cá venho passo no teu cantinho^^
Beijinhos
De _^ANGIE^_ a 28 de Novembro de 2008 às 11:57
lol!
Obrigada eu também passo sempre pelo teu cantinho e ainda estou à espera. Dá-nos uma prendinha de Natal e aproveita as férias parapostar uma nova história.

Beijinhos
De jabeiteslp a 3 de Dezembro de 2008 às 23:14


abaixo a violencia
que no amor
é ciencia
e por cima com aquele calor

joca da Covilhã
olá no prazer de te ler de novo
De _^ANGIE^_ a 4 de Dezembro de 2008 às 11:35
Olha, olha quem é ele. Sê muito bem vindo, mais uma vez. Então as férias correram-te bem? (férias dos blogs entenda-se). Beijinhos grandes
De Desbrida a 19 de Dezembro de 2008 às 19:35
estou à espera dos novos capítulos mas claro que compreendo a demora e ainda bem que tenhas regressado aos blogs jitos

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Janeiro 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds